terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Imperativos da ocasião


Em algum momento ou momentos da nossa vida tivemos sempre algo que não dissemos quando deveríamos ter dito, algo que guardamos para nós mas que nasceu para se proferir, para chegar aos ouvidos de alguém, mas por falta de ocasião ou coragem, por medo ou confusão mental não se disse, nunca se chegou a dizer e como tudo na vida o prazo de validade termina, mas a memória não nem a mágoa que fica por se guardar algumas palavras no nosso interior. Muito tempo depois chega um dia em que já digerimos tudo e a ocasião que nunca tinha surgido acontece inesperadamente e podemos decidir falar de coisas do passado ou simplesmente voltar a esconde-las, porque há fantasmas que duram e divulgar a sua existência noutra altura que não a própria pode ter consequências inesperadas para quem ouve, pelo que se o dizemos é para isso mesmo, como uma vingança sobre o outro pela nossa falta a qual nunca é, como tantas vezes justificamos, para libertar algo de dentro de nós, porque isso há muito que está morto e enterrado.

2 comentários:

Utena disse...

Nada como ser honesta sempre... contigo e com os outros

A Minha Essência disse...

Fiel a nós proprios! ;)