quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Acertar

Muitas vezes nada é como imaginamos e por vezes até como pensamos em plena consciência. A análise que fazemos a algo que desconhecemos é sempre relativa e ainda que possa ser construída com base em critérios bem definidos há sempre algo que escapa, sendo preenchidos por alguma imaginação, por vezes até um pouco fabulosa demais. O que é curioso é são essas partes preenchidas pela nossa criatividade que, ou acertam melhor do que qualquer ideia racional tecida, ou falham redondamente num grau muito maior a qualquer falha por parte da lógica concreta. Parece-me que aquilo que temos por construções baseadas na pura fantasia são puras especulações ou, mais raramente, percepções extrassensoriais. De uma forma ou de outra ou se falha ou se acerta, mas mesmo quando se acerta por vezes não é na totalidade e nem sempre se sabe bem porque se acerta.

1 comentário:

A Minha Essência disse...

Mais que tudo, penso que o importante é teres as tuas convicções bem definidas e delineadas. :)