segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Da frontalidade

A frontalidade tanto pode ser um defeito como uma virtude, isto porque para uns agrada alguém ser frontal, para outros nem tanto, sem falar ainda dos momentos em que ao invés de se ser frontal devia-se era ser exactamente o oposto, ou na melhor das hipóteses simplesmente mudo e sem opinião. Parece-me ainda que apesar de alguns afirmarem que gostam de alguém directo e sem papas na língua, tal não é mais do que uma desculpa de mau pagador, que se descobre quando o mesmo é visado pela frontalidade que defendia. Por outro lado há os frontais com bom senso e os frontais loucos que tudo dizem sem medir, ou porque estão com os nervos à flor da pele ou porque são simplesmente parvos, sendo que quem não costuma ser frontal confunde muita vez estes aspectos, julgando que tal é não ter barreiras ao ponto de em vez de ganhar pontos, só perde, o pior de tudo é que depois poucos são aqueles com frontalidade suficiente para darem uma resposta à medida de quem se estica porque a estupidez, diga-se, raramente merece resposta.

4 comentários:

GATA disse...

A frontalidade já me custou alguns 'amigos'... Mas já me basta ser 'PR' na vida profissional, pelo que na vida pessoal sou frontal - não gostam? paciência! NEXT! :-)

A Minha Essência disse...

Ou seja, tudo se resume ao bom senso. Meramente isso e nada mais! Pois tudo o resto, tem que ver com a personalidade de cada um.

hierra disse...

Detesto aquelas pessoas que se gaba, da frontalidade e atiram pedras a tudo e a todos albergada nessa suposta virtude. Eu prefiro uma pessoa frontal a umas que fale nas costa, mas ainda assim prefiro uma que para além de ser frontal seja civilizada e não desate a ser desagradável só porque lhe apetece!

Anira the Cat disse...

Tudo na medida certa... mas qual é essa medida?

Bjokas