domingo, 29 de abril de 2012

...


Um dia algo acontece, algo bate e não se percebe ao certo o que é, sente-se mais o facto do que se percebe a razão do mesmo e então vive-se a ocorrência, deixando que a mesma nos conduza mais do que a própria razão, dando razão sem razão à razão, criando, alterando, até que tal se esfuma, termina no modo concreto, mas não na memória porque as dúvidas mantém-se, as perguntas continuam a fazer-se e as respostas não se alcançam. Eis que noutro tempo, no depois, no muito além surge uma pista, surge uma fagulha sobre a razão verdadeira, a qual está muito atrás, qual semente que foi enterrada no passado para dar origem a algo anos mais tarde, algo inusitado, algo que parece ser fruto apenas de uma conjugação inesperada, de um momento incerto desabrochando como por magia o que nos deslumbra, o que nos hipnotiza e tudo faz esquecer, alterando as estruturas, resultando de tal uma nova conjuntura que se espera que possa trazer as respostas que se buscam, que se pode tornar em algo concreto, mas, então, percebe-se, no depois, que as razão, apesar de existir, apesar de ter sido enterrada e encontrando-se encoberta é apenas uma conjunção de mais daquilo que nos afasta da realidade, que era apenas um sonho que se pensou encontrar mas se sabia à partida impossível, mas ainda assim buscou-se para se perceber que a realidade não permite impossíveis, improbabilidades, permitindo somente o seu vislumbre, o qual se tenta digerir, sabendo-se no entanto difícil de esquecer.

1 comentário:

Maria disse...

Olá. Desculpem o off-topic mas era só para vos informar do seguinte evento:

Portugal, um país, à RASCA

www.facebook.com/events/214086845374015


Um ano depois não é apenas uma geração, é um país inteiro, à rasca.

Junta-te ao NOVO evento que acabo de criar no FACEBOOK.

12 de Maio vamos todos sair à rua.

Convida todos os teus amigos! Obrigada!

* Existem banners de vários tamanhos/formatos para também colocares no teu blogue.
* Vê também este vídeo.