quinta-feira, 12 de abril de 2012

Lógica e ilógica


A lógica das coisas nem sempre impera em mim. Tantas vezes meto-me ao caminho sem pensar muito bem para onde o mesmo leva, apenas vou, porque se o planeasse, se o pensasse, certamente não sairia do mesmo sítio. Contudo, ao faze-lo, contrario tantas vezes a lógica, lanço-me na precipitação que mais tarde levanta o grito do arrependimento, tece as teias da preocupação por não saber como desamarrar os nós que foram tecidos. Mas seguindo sempre a lógica há também percalços, há coisas que têm de dizer e não se dizem, ficando as mesmas na retaguarda, num soluço que cai para dentro e não para fora, e espera-se, espera-se sempre, espera-se caindo no desespero e na agonia da espera, espera-se que algo aconteça, que algo surja mas quando se tem a lógica por caminho, tudo está programado e se aquilo que se espera é algo que foge a esse âmbito, então bem se pode esperar sentado, porque não virá, não acontecerá, porque o lógico é o dia de hoje ser igual ao de amanhã, sem sobressaltos, sem novidade, sem nada, se acontecer o oposto, então cairemos no domínio oposto, algo que nem sempre sabemos como lidar, mas que nos dá um sabor a vida que tantas vezes esquecemos, mas que também, de igual forma, tantas vezes receamos.

4 comentários:

GATA disse...

A lógica é algo que não existe na minha vida... :-)

PS: um dos meus quadros favoritos do Salvador Dali (Sueño causado por el vuelo de una abeja etc etc etc) - com o qual me identifico, pois acho que ele padecia do mesmo 'mal' que eu, em relação aos sonhos... :-)

Utena disse...

A forma como expões certos temas é brilhante

A Minha Essência disse...

Nada pode (ou deveria), de ser tão linear, tal como a lógica na nossa vida, na nossa mente. Penso que seriamos muito mais felizes.

NI disse...

É curioso que os grandes percalços que tive ao longo da vida (e desilusões, diga-se), resultaram das oções que fiz usando a lógica das coisas.

:)