terça-feira, 29 de maio de 2012

Daquelas coisas que se repetem


As frases, conversas, conselhos que se dizem para levantar o ânimo de alguém são sempre as mesmas, têm todas a mesma tónica, a mesma melodia e frequência, são ditas por quem quer ajudar mas nem sempre sabe como. Talvez por isso não têm qualquer magia, não têm qualquer efeito, a não ser talvez para quem as profere, porque para quem as escuta soam a mais do mesmo, a essa esperança que os outros querem tentar incendiar em nós, mesmo quando já nem combustível temos para esse efeito. Todas essas palavras são gastas, são um repisar do que já sabemos mas não sentimos, porque podemos conseguir ouvir, mas dificilmente sentir apenas pelo escutar, o conforto é algo que virá somente com o tempo, ou não virá nunca, pelo que o que nos dizem apenas serve para perceber que alguém se preocupa, mas isso por si só não chega, até porque há silêncios, olhares e gestos muito mais reconfortantes do que qualquer verbo que se usa como um protocolo que se quer quente mas soa a frio devido ao facto de, mesmo que se mudem as combinações, soar sempre à repetição do mesmo.

3 comentários:

S* disse...

Gosto quando os sentimentos não precisam de ser verbalizados, de tão intensos que são.

A Minha Essência disse...

Penso que tudo o que mencionaste no post só acontece se quando ambas as partes estão a fazer fretes. Porque se for verdadeiramente sentido, tem outra interpretação, quase de certeza.

GATA disse...

É tudo muito bonito quando os problemas não são nossos...