segunda-feira, 11 de junho de 2012

Silêncios


Não vejo a razão nem o porquê de muitas coisas, sobretudo aquelas que se aceitam em silêncio, nomeadamente quando esse mesmo silêncio ao invés de ser uma estratégia necessária acaba por ser apenas um mero elemento de desleixo ou de pura covardia. Certamente haverá sempre algo a perder, mas também muito a ganhar, mas perde-se em certos silêncios para o ganho de quem avança por os ouvir, porque nada escuta e assim sente-se confiante, o suficiente para esmagar e espezinhar todo um exército de mudos, que vê sem ver, que escuta sem ouvir e que fala sem nada dizer, esperando apenas que quem disso se aproveita acabe por definhar por si só.

2 comentários:

GATA disse...

Por vezes, o silêncio é uma arma...

Utena disse...

Muitas vezes no aceitar do silêncio falam-se inúmeras palavras