terça-feira, 3 de julho de 2012

Daquilo que somos


Temos a tendência de pensar que somos de uma maneira e raras vezes somos de outra, essa outra que nos surpreende, que usamos sem pensar ao ponto de olharmo-nos ao espelho e não nos reconhecermos. Temos apenas uma noção do que somos, de como vamos reagir a determinada coisa, mas tal não é uma verdade absoluta porque de absoluto não temos nada, e apesar de noventa e nove por cento das vezes sermos quem somos sobra sempre um por cento para nos surpreender, sendo que tal percentagem pode variar consoante a pessoa. No fundo o que somos é uma ideia, uma ideia que temos de nós próprios, ideia essa discutível, variável e indeterminada. Somos aquilo que somos no momento próprio, no passado do que aconteceu, mas dificilmente podemos afirmar o que vamos ser no futuro que dista de nós apenas por meros milésimos de segundo.

4 comentários:

Utena disse...

Saber conhecermos-nos é uma tarefa que dura uma vida inteira.

GATA disse...

Por vezes não me conheço... especialmente a uma segunda-feira de manhã, depois de uma noite de insónia... :-)

S* disse...

Estamos em constante mudança... oxalá que para melhor.

A Minha Essência disse...

E assim é que tem piada, não saber de tudo, até de nós mesmos.