segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Da bipolaridade da vida


Há dias em que tudo nos abala, a mais pequena partícula é suficiente para nos atingir e ferir, o mais pequeno gesto parece significar tanto e deixar-nos na dúvida sem que consigamos vislumbrar a porta de saída como se tudo à nossa volta se fechasse e nunca mais se fosse abrir.
Há dias piores e outros melhores e isso parece ser tantas vezes a vida em si, no entanto não deveria ser assim e tão pouco a vida deveria ser essa condição bipolar, esse mar sereno e revolto onde as ondas tão depressa aparecem como desaparecem. Talvez a vida devia ser apenas para ser vivida, sem grandes tumultos ou mudanças de amplitude e certamente todos nós desejaríamos que assim fosse, contudo esperar por tal é difícil senão mesmo impossível, sendo que lutar contra tal variação é o mesmo que lutar contra a própria vida em si e dessa forma ora nos aguentamos a viver ora nos resignamos a tentar lidar com o que a vida tem para nos dar, ainda que tal se resuma sempre a uma alternância  entre dois pólos, um positivo e outro negativo.

2 comentários:

S* disse...

Infelizmente ter de caminhar na corda bamba é frequente.

GATA disse...

...cansei-me de lutar, resignei-me...