segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Do que fazemos


Por norma procuramos o que é fácil, aquilo que dá mesmo trabalho e preocupações, sem que isso queira significar preguiça ou ociosidade, sendo antes algo para o qual estamos instintivamente programados. Contudo em algumas ocasiões, senão em muitas até, fazemos o contrário, buscamos a dificuldade, a contrariedade, aquilo que parece impossível e que não é passível de ficar feito de uma vez e fazemo-lo por diversas razões, sendo a mais comum de todas a vontade de querermo-nos superar a nós mesmos, ou simplesmente porque somos o suficientemente tolos por pensar que o facto de algo ser de difícil realização vamos desse modo conquistar mais e melhor valor.

3 comentários:

S* disse...

Complicado decidir.

Utena disse...

Foi por isso que o teu texto não aparece?
Para ver se ultrapassamos as dificuldades de o ler?
=)

GATA disse...

Eu nem tento procurar o que é fácil, aquilo que dá menos (e não mesmo) trabalho e preocupações, porque já sei que para mim é sempre difícil… Eu devia ter-me dedicado às corridas de obstáculos… :-)