sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Falar



Começar a falar é diferente de aprender a falar, isto porque começamos a falar sem memória ou vontade de o fazer, fazemo-lo apenas porque somos estimulados a isso e então falamos, pouco, muito, mal ou bem, mas falamos. Contudo aprender e saber falar é outra história, uma espécie de upgrade que alguns fazem de forma mais fácil e sem esforço que outros. A retórica é talvez uma arte esquecida e cada vez mais desconhecida de todos de modo que a eloquência resume-se somente àqueles que têm queda para a mesma, ao passo que a maioria desconhece e até despreza. Confesso que por vezes falo muito, falo demais, mas isso não faz de mim um eloquente, até porque tenho muitas vezes um grave problema, esqueço-me de expressões, de nomes, de palavras, as quais estão sempre ali, debaixo da língua, a queimar,  a gritar por saírem mas devido algum nó que se ata na minha cabeça só se soltam fora de contexto, fora de tempo e tal faz quebrar a frase, o raciocínio pelo que as frases ficam ditas a meio, as conversas murcham e o interesse perde-se tal como quando se houve um disco cujas músicas têm falhas no meio, soluçando sem a harmonia necessária para que se possa apreciar por inteiro, nem tão pouco uma parte.

4 comentários:

hierra disse...

Isso não tem nada a ver com a eloquência...a mim tb me falham nomes, expressões, tb tenho lapsos a meio das conversas, mas isso é natural...há dias então que não vai uma para a caixa...e não considero handicap...aliás, os lapsos, as trocas e muitas vezes os disparates têm a sua graça....

Olívia Palito disse...

O senhorito tem um desafio lá no meu blogue. Espero que aceite, sim? Vamos lá testar essa criatividade. ;]]




A Minha Essência disse...

Isso não se deve ao facto de teres demasiada informação aí? Acontece-me. Quero debitar tudo mas, é tanta coisa que às tantas, parece que fica curto o tempo de conversa. Estranho mas real, sim.

anf disse...

Identifiquei-me completamente com este texto, isso que relatas faz com que muitas vezes prefira ficar calada,
bjo