quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Do viver no passado



Por vezes encontramo-nos a olhar um passado que já foi, que já não voltará a ser exactamente por ter sido, mas ainda assim voltamos lá, vezes e vezes sem conta para ver, para procurar uma maneira de ter sido de outra forma, um modo de ressuscitar o mesmo para se voltar a tentar, sabendo no entanto que tal é impossível, mas continuamos e tentamos ou simplesmente escapamo-nos para esse lugar por não haver um horizonte melhor à nossa frente para o qual olhar. Talvez por isso o passado tenha essa dupla essência, de nos fazer por um lado perder nele ao mesmo tempo que revive quando o fazemos reviver, sem no que entanto consigamos transpô-lo para a nossa realidade porque se o fizéssemos dificilmente viveríamos, pelo contrário, repetir-nos-íamos, sem que algo de novo fosse novamente sentido ou vivido.

4 comentários:

D. disse...

So true!
Vou referenciar.

GATA disse...

O passado serve-me de lição para o presente e para o futuro.

S* disse...

Agarrar ao passado é errado, acabamos por não viver o presente.

Mags disse...

gostei, muito intenso