terça-feira, 23 de outubro de 2012

Incerteza



A incerteza está sempre presente, quiçá, de mãos dadas com a própria vida dado que a vida em si é esse cumulo de incertezas permanentes que se manifestam umas atrás das outras. A incerteza maior será aquela que reside em nós, mas não em nós enquanto matéria nossa, mas sim formada por aquilo que nos rodeia e traduzimos na forma de sentidos e sentimentos, sendo que boa parte das incertezas nascem assim da reação a algo que gostaríamos de perceber e saber. Mas quando abrimos os olhos aquilo que vemos não é a razão plasmada, não é a realidade como gostaríamos que fosse ou na sua totalidade, não são as expectativas que temos e estamos sempre a criar.  Aquilo que vemos é a incerteza de saber que nunca vamos saber, é perceber que o que está lá fora é complexo, mas que nós, de igual forma, somos formados dessa mesma matéria que se emaranha e nos ofusca a razão, é perceber que temos de aceitar a incerteza se queremos viver na certeza de termos os pés na terra, muito embora tal pareça à primeira vista uma contradição que se traduz talvez na maior das nossas incertezas.

3 comentários:

S* disse...

Oh, detesto incertezas... sou muito preto no branco.

hierra disse...

Detesto incertezas, encruzilhadas e coisas que tais, até porque sou indecisa e juntar esse facto ao que já referi é um cocktail explosivo!

A Minha Essência disse...

Não gostamos, mas que elas povoam na nossa mente, isso é certo. Por uma razão ou outra.