sexta-feira, 5 de outubro de 2012

O pior



O pior é quando se avança mas apenas num sentido, num plano em concreto e não na globalidade do mesmo, quando se julga chegar a um ponto novo que no final se revela igual a tantos outros pelos quais já se passou. O pior é quando se pensa que por muito que se avance tudo se mantém igual, mudando apenas os cenários, as personagens que o compõem mas os problemas são os mesmos, encontrando-se apenas revistos e adaptados a uma realidade que molda na curva da longevidade. O pior é quando tudo parece indicar que há apenas uma opção, uma perspectiva, uma realidade possível ainda que a mesma surja por vezes mascarada de diferentes formas, com diferentes cores, apenas para garantir que não a percebamos no momento em que nos deparamos com ela, ainda que a percepção no fim se acabe por revelar aos nossos olhos traduzindo toda a realidade como sendo apenas e só mais do mesmo.

Sem comentários: