quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Fama



Não sou famoso. Sou do mais anónimo que possa existir na sociedade. No entanto faz-me confusão a fama, faz-me confusão quem a quer apenas por ter, faz-me confusão quem a ganha apenas por inerência e não por vontade. Considero que ter fama não é viver, porque tal é viver num mundo onde todos reparam em nós, onde não somos comuns transeuntes para passarmos a ser o alvo das atenções, positivas ou negativas, frívolas ou obtusas. Ter fama é viver numa ilusão, é ter toda a gente de olhos postos em nós, é deixar de sermos privados para sermos públicos, é não ter liberdade. Muitos buscam a fama, outros adquirem-na, alguns aprendem a viver com ela, mas tantos não podem viver sem a mesma. Ser famoso trás poder, talvez por isso seja algo tão desejado, porque quando se tem nome, se tem imagem, há mais respeito ou somente é maior o asco. Não vejo a fama como um objectivo pessoal a atingir, aliás, fujo dela o mais que posso, temo-a e abomino-a, porque viver com fama seria ter de aprender a viver uma vida nova, não por força ou vontade própria, mas por imposição externa alheia.

4 comentários:

Alix disse...

Esqueceste-te de dizer que a fama está associada a dinheiro, a muito dinheiro. E quem não quer ter muito dinheiro? ;)

A Minha Essência disse...

O engraçado, é os que querem ter fama, mas querem privacidade. :S Não preciso dizer mais nada pois não? ;)

S* disse...

Há gente que se alimenta da aprovação dos outros.

GATA disse...

Tu dispensas os croquetes??? DOIDO!!!