quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

O todo e a parte



Por vezes não queremos o todo, queremos somente uma parte, parte essa que é para nós um todo, o todo que nos interessa somente a nós, mas não interessa à outra parte por ser apenas a fracção do todo que a mesma é. E graças a isso acabamos por não ter nenhuma parte do todo, nem hipótese de chegar ao todo, porque desejamos apenas a fracção e mesmo que ansiássemos o todo provavelmente só obteríamos uma parte, parte essa que por si só não nos chegaria muito embora talvez a aproveitássemos, visto que antes um pouco do que nada, sobrando apenas a vontade de ter mais sabendo-se que não se pode ter tudo.  

4 comentários:

hierra disse...

Não se pode ter tudo e eu da melancia, não quero, nem o todo, nem nenhuma parte lol...:) odeio melancia eh eh eh

Olívia Palito disse...

Há posts de tão profundos que são, juro que chego a ficar com um nó na cabeça ao tentar dissecá-los, pá. Ou isso, ou isto do raio da idade que já não dá para mais. :P

S* disse...

Já estou como a Olívia, de vez em quando dou um nó. :P

GATA disse...

Por exemplo, não preciso do TODO do primeiro prémio do euromilhões, basta-me uma PARTE! :-)