terça-feira, 29 de janeiro de 2013



Muitas vezes observamos e julgamos ver, mas na verdade aquilo que vemos é apenas uma miragem, um paradigma ditado por um sem número de experiências e preconceitos. Ver o quadro todo não é para todos, e mesmo aqueles que o conseguem vislumbrar nem sempre têm forma de o fazer, falta-lhes inspiração, falta-lhes o golpe de asa, a atenção devida, aquele click inexplicável que se sente quando temos a certeza absoluta mas não a sabemos balbuciar num pensamento corrente. Os enganos surgem então, perante aqueles que não se deviam enganar, no âmago dos que era suposto saberem, mas a falha é algo persistente, é algo que anda de mãos dadas com a essência do próprio ser, em particular dos humanos, fazendo com que tudo o que temos por certo seja sempre algo instável e fugidio, ao passa que a incerteza é, essa sim, a condição permanente que vivemos durante a maior parte da nossa vida, embora raramente tenhamos consciência disso mesmo.

1 comentário:

S* disse...

Essa indefinição, por vezes, confunde-me.