segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Os privilegiados



Se há coisa que é visível hoje em dia aos olhos de todos é que estamos longe de viver numa sociedade igualitária e de direito. De facto uns são mais "iguais" que outros, mas o pior nem é tanto isso, o pior é que há grupos de privilegiados os quais provam bem que vivemos antes numa sociedade de privilégio, de ordens, muito em correlação com as antigas sociedade da Era Moderna ou Medieval. O grupo onde isso se verifica na sua forma mais expressiva e sonante encontra-se no Parlamento. Os deputados são os novos nobres de hoje em dia, grupo ou classe privilegiada que está acima da lei, está acima de todos ou quase todos, construindo as leis e os regulamentos para si próprios ou à medida dos amigos, insurgindo-se de forma altiva contra quem os crítica, em particular quando é posta em a causa a sua pretensa moralidade,  honra ou decência, podendo apenas serem julgados pelos seus pares, espalhando uma suposta simpatia para com os coitadinhos, mostrando uma insatisfação forçada contra o que vai mal no país, encenando lutas de palavras para provarem que têm um ponto de vista, que são diferentes e têm ideias diferentes, acusando os outros dos mesmos pecados que cometem, provando com tudo isto que são os elementos certos e únicos para o cargo, já que mais ninguém tem a mesma qualidade superior que eles têm. De facto os deputados podem tudo, já que são as pessoas mais livres desta sociedade, podem pôr e dispor de tudo como bem entendem, porque lhes são atribuídas responsabilidades altíssimas mesmo que eles não padeçam de qualquer competência extrínseca ou intrínseca para as carregar, podendo-se proteger na matilha à qual pertencem quando são atacados e nós, nós supostamente deveríamos confiar neles, deveríamos reverencia-los mas como bom povo que somos sempre desconfiamos de quem não pode ser julgado, de quem escrever para si próprio as regras a seguir, de quem surge não se sabe de onde nem porquê e se acha acima de tudo sem ter provas dadas de honestidade, isenção ou ética.

3 comentários:

S* disse...

Fico chocada com a falta de noção dos privilegiados.

GATA disse...

Eu gostava de saber se... Se não tivessem privilégios, quantos seriam os que ocupariam cargos públicos?!

Não confio em nenhum. Não reverencio nenhum (era só o que faltava!!!). Porque NENHUM serve o país ou o povo, servem apenas e somente os seus interesses!

A Minha Essência disse...

Uma falta de tudo! É por estas e por outras que não voto! Não nada! Oh cambada!...