terça-feira, 12 de março de 2013

Ideia de nós e dos outros


Aquilo que pensamos de nós, a ideia que temos sobre aquilo que somos, parte em muito de como vemos os outros, ou da forma como nos comparamos aos outros. Muitos dirão contudo que não fazem comparações, não se medem nem medem os outros, que olham e apreciam não fazendo avaliações. Mas o certo é que inconscientemente e em dados momentos todos acabam por faze-lo, de uma forma voluntária ou involuntária, consciente ou inconsciente e tal serve de parâmetro para nos definirmos, naquilo que somos ou não somos, no que queremos ser ou no que gostaríamos de ser. Olhar os outros é por isso uma constante que nos poderá afligir consoante aquilo que somos e pensamos ser, nomeadamente no que diz respeito ao que julgamos serem as nossas presumíveis falhas e demais arestas a limar, sendo que daí seguimos vários caminhos, o mais simples, o da inveja, o mais difícil, a tentativa de minorar em nós próprios aquilo que achamos que temos de mudar porque talvez nada temos de mudar a não ser a nossa forma de olhar.

3 comentários:

hierra disse...

Nada tenho contra aquela inveja positiva de se ver alguém como se queria ser e se tentar ser assim, tal e qual! Acho tb que mudar é muito dificil, muito mesmo. Nós somos o que somos. claro que somos fruto das circunstâncias e elas acabam por nos mudar, mas isso é um caminho longo!

GATA disse...

Eu sou quem sou... mas não me importava de ser a Monica Bellucci!

A Minha Essência disse...

Estou satisfeita comigo mesma.