terça-feira, 9 de abril de 2013

Da culpa



A culpa é algo que pode ser atribuída a muitos factores. Pode ser nossa, pode ser dos outros, pode ser de qualquer outra coisa que desconhecemos ou então da soma de tudo e a subtração de nada. A culpa é enganadora mas somos sempre nós que acabamos por sofrer as suas consequências, o seu peso e as contingências que a mesma provoca, o que nem sempre ocorre com os outros, muito embora também estes, por mais anônimos que sejam possam sofrer também. A culpa é de tudo e de nada, desculpam-se uns e culpam-se outros e de entre todos poucos a reconhecem, ou se o fazem não o dizem, não o admitem porque tal seria perder para aqueles que se calam mesmo que a tenham e bastante. A culpa é uma rotina com a qual se vive, que se procura esquecer, enterrar ou então usar para tudo justificar. A culpa nunca morre solteira, mas muitas vezes, talvez demasiadas, morre em silêncio sem que ninguém saiba da sua existência.

3 comentários:

GATA disse...

Não me caem os parentes na lama por pedir desculpa quando tenho culpa, e gosto que façam o mesmo comigo. Não atiro as minhas culpas para cima dos outros e muito menos levo com culpas alheias!

A Minha Essência disse...

Faço minhas as palavras da Gata, nem mais.

O Blog da S. disse...

Há culpas pequenas às quais podemos sobreviver com um desculpa.
Mas há culpas que carregamos com nós mesmos, aquelas que vêm de males que causamos a nós mesmos.