quinta-feira, 2 de maio de 2013

As pequenas coisas


Por vezes não são as grandes, mas sim as pequenas coisas que nos incomodam, nos fazem pensar ou sofrer. Talvez por isso, pelo seu tamanho diminuto, julgamos que as mesmas não deveriam ter em nós esse efeito, mas o facto é que têm e fazem-se sentir, ouvir, corroendo de forma aguda e certeira a nossa paz e tranquilidade de um modo que não estamos à espera ou que não esperávamos de todo. Perante os outros somos parvos, somos tolos, mas acima de tudo somos incompreendidos dado que quando se conhecem os motivos pelos quais nos queixamos dificilmente há quem compreenda, há quem consiga perceber aquilo que no fundo nem nós próprios percebemos e entendemos como algo de grave, mas o certo é que mesmo que a razão diga que é diminuto e praticamente elementar, o nosso âmago afirma ruidosamente e sem voz que é o fim do mundo.

3 comentários:

S* disse...

Perdemos tanto tempo com coisas minúsculas...

A Minha Essência disse...

De todos os textos que li aqui, este, sem dúvida é o que me identifico mais, nesta fase.

GATA disse...

Não me importa os que os outros pensam de mim! Os problemas são meus e têm importância apenas e somente para mim.