sexta-feira, 3 de maio de 2013

Corda bamba


Nem sempre conseguimos ser bons, fortes, alheios a preconceitos ou a sentimentos de inveja e cobiça. É certo que a maior parte sabe a diferença entre bem e mal, entre o ser justo ou injusto, mas por vezes resvalamos de propósito para o lado negativo, para aquilo que não deveríamos ser porque o contrário seria o equivalente a asfixiar ou então porque somos demasiado fracos para conseguir resistir a essa tentação. No fundo somos e seremos sempre humanos, cheios de defeitos, cheios de traços antagónicos e nem sempre conseguimos lidar com tudo da melhor forma nem ter força para ultrapassar as tentações mesquinhas e muito menos para as digerir. Depois disso vem o arrependimento ou então a simples tomada de consciência que nunca seremos perfeitos, que caminhamos sempre na corda bamba da vida, sujeitos a escorregar e cair, sem que nada assegure que chegaremos ao fim e muito menos sem um único arranhão que seja.

2 comentários:

Utena disse...

Mas não é isso que nos torna humanos!
O meu problema não são os erros, os defeitos é o não se saber assumir!

GATA disse...

Ao contrário da UTENA, o meu problema não são os defeitos - que reconheço e assumo -, são os erros! Já dizia o Camões "erros meus, má fortuna"...