quinta-feira, 9 de maio de 2013

Do desprezo


Sabemos que nem toda a gente é perfeita da mesma forma que sabemos que há muita gente que não nos agrada ou é simplesmente, a nosso ver pelo menos, má, ruim e intragável das mais diversas formas. Mas deveras curioso torna-se o facto dessas mesmas criaturas nos tratarem com o mesmo desprezo que nós próprios sentimos por elas, como se elas nos vissem de forma igual ou ainda pior daquela que nós vemos elas. E então, aí, começamos a sentir que das duas uma, ou somos realmente intragáveis e não sabíamos, ou então essas mesmas figuras são ainda piores do que aquilo que pensamos ao ponto de nos verem como um espelho, sem no entanto supor que o reflexo acaba sempre por ser o de quem olha e não o de quem é olhado, sendo que, se não agradamos realmente tal se deve tão simplesmente à presença de quem nos odeia logo à partida mais do que aquilo que somos ou que tenhamos feito.

4 comentários:

hierra disse...

Uma coisa é não ser perfeito, outra bem diferente é ser um grande estupor!!!!

S* disse...

Tento não desprezar ninguém... tento manter a indiferença, é menos mau.

A Minha Essência disse...

Cada um como cada qual. Todos diferentes, todos iguais.

GATA disse...

Eu não sou adepta do desprezo, tal como a S*, opto pela indiferença.