terça-feira, 21 de maio de 2013

O certo e o incerto


Na vida muito pouco é certo e garantido. Talvez por isso sentimos tantas vezes a necessidade de nos agarrar ao pouco que temos ao invés de nos aventurarmos sem fio ou rumo somente porque sim, para destruir um paradigma com a tentação de construir outro de raiz que possa ser bem melhor. Contudo o pessimismo, a razão, o receio de perder o pouco que se tem normalmente leva a que nada disso aconteça, ainda que, possamos pensar que tal possa acontecer por outra via, não tão radical mas sim suavemente, muito embora esse raciocínio, ainda que válido, raramente suceda e funcione antes como uma desculpa de mau pagador para justificar ficar onde se está, situação que não é ruim de todo, desde que a aceitemos e consigamos viver com a mesma, o problema dá-se sim quando não suportamos o pouco que temos, fracção que serve tão simplesmente para nos alimentar os subterrâneos malignos da alma e cujas consequências podem muitas vezes a vir a ser dramáticas para nós e para os outros.

3 comentários:

A Minha Essência disse...

Como se diz na gíria: mais vale um pássaro na mão que dois a voar.

S* disse...

Eu agarro-me ao amor dos que me rodeiam e à minha força de vontade. Esses são garantidos.

GATA disse...

Na vida a única coisa certa é a morte.

...eu agarro-me ao Lambrusco Rosé!!! :-)