quarta-feira, 26 de junho de 2013

Do orgulho nacional


A questão do orgulho nacional tem muito que se lhe diga. Perguntado a alguém se sente orgulho no país que tem praticamente ninguém terá a coragem de dizer que não, poderá falar mal de tudo e mais alguma coisa, mas levantando o sentido patriótico ninguém o rejeitará. Contudo é complicado dizer que há um orgulho nacional, sobretudo um orgulho no povo português, porque olhando para o lado vemos sempre bastantes maus exemplos para conseguirmos dizer sem pensar que sim, que temos muito orgulho no nosso povo e por extensão, no nosso país. Mais curioso é que quando alguém que não seja português diz mal de nós levantamo-nos em fúria, mostramos os dentes e ai de quem mantiver o discurso porque a coisa é bem capaz de lhe correr mal. Depois há também aquela ideia do cada um por si, numa clara mostra de total desunião e do salve-se quem puder que também nos caracteriza tão bem. Aplaude-se quem atinge, não interessa como, mas que atinge, aplaude-se, inveja-se e fala-se mal, mas depois surge a frase peregrina do "se fosses tu fazias o mesmo" e surge o silêncio comprometedor. Talvez a razão dessa falta de orgulho, ou da sua manifestação silenciosa no dia-a-dia derive disso mesmo, de sermos demasiados conscientes dos nossos próprios defeitos, das nossa imperfeições, tanto em cada um como num todo em geral do que resulta uma visão algo contraditória que anula qualquer erupção de orgulho, porque se temos os melhores, também temos os piores, se somos um grande pais, certo é que também não o somos e a culpa? A culpa será mais de uns do que de outros, mas culpa, de alguma maneira todos a temos mesmo no grau mais ínfimo e inesperado da mesma.

2 comentários:

GATA disse...

Não sou dada ao patriotismo, mas não gosto de ouvir falar mal do país: se é um estrangeiro, que volte para o seu país; se é um português, que siga o conselho do PM e IMIGRE!

A Minha Essência disse...

Ui, dava pano para mangas... penso que com este aparte apanha-se o que penso: nas costas dos outros vemos a nossa, no entanto, não se ponham a jeito para dar aso.