quarta-feira, 31 de julho de 2013

Tudo


Queremos sempre mais e melhor, não queremos pouco ou pior, muito menos algo igual ou semelhante. Queremos tudo multiplicado por mil, elevado à potência superior, queremos o impossível. Se assim não for nada nos chega, nada nos sossega e sacia por completo. E, à procura desse tudo, normalmente acabamos por encontrar nada, por perder o pouco que temos, seja tempo, seja outra coisa qualquer, mas sobretudo esperança. Assim, mais um degrau andamos para baixo, tornando-se difícil subir novamente, ainda por cima porque a escada para a perfeição é tão longa, tão difícil de subir, perdendo-se o seu fim na vastidão celestial. Perguntamo-nos então, porquê querer tudo? A resposta é simples, porque achamos que temos direito ao mesmo, porque é isso que nos faz caminhar ao longo dos dias, é aquilo que dá sentido à vida e se deixarmos de vislumbrar tal estrela, nem que seja por momentos efémeros, acabamos por não sair do mesmo sítio, por não ir a parte alguma, por isolar-nos de tudo e de todos, mas acima de tudo, acabamos por deixar de ser nós próprios. 

1 comentário:

GATA disse...

Inconscientemente quero sempre mais e melhor. Mas... Conscientemente não, porque aprendi (ainda que a 'duras penas') a viver com o que tenho. Não quero queimar a minha pelagem como Ícaro queimou as suas asas...