sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Da mudança da realidade


Há um momento em que a realidade se torna diferente. Não é um momento pensado à priori, é apenas um facto consumado do qual se toma consciência a dada altura. O modo como pensamos, como encaramos as coisas altera-se quando confrontado com a memória de um tempo passado, que tanto pode ser longínquo como recente. A dificuldade maior é, nesses primeiros instantes, tentar digerir e discernir o que isso significa. E então olhamo-nos, uma e várias vezes, tentando perceber o que aconteceu, o porquê, se é que há porquê, o que somos, se somos ou ainda somos. Nesse momento buscamo-nos a nós mesmos, mas o problema é que já antes procurávamos sabe-lo, e agora, com a alteração a que fomos sujeitos de forma natural, baralharam-se novamente as cartas parecendo que tudo o que antes tínhamos por certo ficou em causa, porque olha-se para tudo com outros olhos, com outra visão, como se vislumbrássemos um novo começo que ainda assim sabe apenas e só a uma continuidade modificada.   

1 comentário:

GATA disse...

Não gosto de mudança, porque a maioria das mudanças na minha vida foram negativas, e eu temo sempre mudanças...