segunda-feira, 16 de setembro de 2013

...


Há muitas coisas com as quais sonhamos num momento ou noutro da nossa vivência. Coisas que gostaríamos de um dia viver, ver ou sentir, mas tudo isto sempre com pés bem assentes na terra, sem grandes ilusões, porque ao mesmo tempo não nos preocupamos muito com tal, devido à distância ou simplesmente pelo facto de encararmos como uma impossibilidade. Há quem se vá abaixo por esse facto, por perder essa esperança que um sonho se possa concretizar, mas a maior parte, julgo eu, cai numa racional e resignada forma de encarar os sonhos apenas como sonhos, ficando feliz somente por poder sonhar os mesmos, servindo isso de escape a tudo o resto, a vida que se leva. Também há quem diga que é preciso lutar pelos sonhos, que é preciso fazer de tudo para os tornar realidade, mas nem todas as coisas são passíveis de lutar por, muito depende somente de estar no lugar certo à hora certa ou somente por esperar pelo momento certo, isto tendo sempre a esperança que o tal vá ocorrer, quando não se sabe, se acontecerá mesmo, também não, mas espera-se apenas. Mas esperar desespera, pensar muito sobre um assunto enlouquece, por isso o melhor é mesmo não pensar nem esperar, viver apenas o que se tem a viver, tentando manter o equilíbrio entre a esperança e a desilusão, guardar cá dentro, fechado a sete chaves toda e qualquer esperança para que a mesma não nos domine por completo evitando assim a força destrutiva da desilusão.

3 comentários:

S* disse...

Não gosto de esperar... tento ir vivendo e desfrutando com o que já tenho.

A Minha Essência disse...

Concordo. Aliás, não podia estar mais de acordo. Porém... conseguir pôr isso em prática no dia-a-dia, no turbilhão das emoções e tudo mais? No entanto, reafirmo, concordo com o post, sem dúvida. ;)

António Jesus Batalha disse...

Ao passar pela net encontrei seu blog, estive a ver e ler alguma postagens
é um bom blog, daqueles que gostamos de visitar, e ficar mais um pouco.
Eu também tenho um blog, Peregrino E servo, se desejar fazer uma visita
Ficarei radiante,mas se desejar seguir, saiba que sempre retribuo seguido
também o seu blog. Deixo os meus cumprimentos e saudações.
Sou António Batalha.