sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Do marasmo

Cair no marasmo é fácil. Tão fácil que não se cai, escorrega-se nele, deixando-se ir até que o mesmo nos consuma por completo, mas no nosso entender somos nós que o consumimos a ele, embora tal seja uma falácia na qual nos gostamos de acreditar. Depois, pior é sair do marasmo, libertarmo-nos do mesmo e sabendo à partida o quanto custa tal escalada tentamos sempre não cair, ainda que escorregando para dentro do mesmo. Tal situação acontece com o marasmo como em tantas outras coisas por um sentimos por vezes necessidade dele, mas nos purgarmos mas por outro sabemos o quanto perigoso o mesmo na medida que nos vicia e nos encerra as saídas.

2 comentários:

mmm´s disse...

Será caso para dizer que: quanto menos fazemos, menos vontade temos de fazer... o marasmo tem efeito bola de neve.

A Minha Essência disse...

No dia que o ser humano deixar de ter as suas crises existenciais, o mundo acaba com certeza. ;)