quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Da mentira e da verdade

Antigamente a mentira era uma coisa, a verdade era outra. Dois campos diametralmente opostos, dois campos antagónicos, ou era ou não era. Agora a mentira nem sempre é mentira, a verdade nem sempre é verdade e parece que há o receio de extremar uma posição, de ver apenas uma cor, pura e sem misturas. Ao que parece nada é absoluto mas elevar essa visão ao extremo acaba também por ser um extremismo. Existem coisas que são o que são, que não padecem de interpretações a não ser claro para tentar deformar aquilo que realmente são. Parece haver uma tendência de justificar que a mentira não é bem uma mentira porque há algo maior que permite que a mentira se torne no mínimo uma meia-verdade, da mesma forma que uma verdade nunca é totalmente verdade, porque se assim fosse seria muito mau e incomodaria muita gente. Parece-me que vivemos no mundo do mais ou menos, onde muitos adaptaram-se a aceitar a visão do assim-assim como algo natural, onde aquilo que é verdade e mentira nunca é bem o que aparenta, sendo antes uma nébula,  e ai de quem disser o contrário, porque tais são perigosos e ameaças, mas para essa classificação já não há tons de cinzento. 

1 comentário:

GATA disse...

Ultimamente não se distingue a verdade da mentira... são tempos confusos e perigosos...