terça-feira, 28 de janeiro de 2014

...

As relações raramente se mantêm iguais. Alteram-se em pequenos ou grandes aspectos, ao correr do nosso próprio crescimento enquanto pessoas e indivíduos, assim como da relação em si. A dificuldade será ter a capacidade de acompanhar essa mudança, de nos sabermos adaptar às mesmas, para manter a relação no seu todo. Caso contrário caminha-se para o fim da mesma, porque se deixou de a entender como aquilo que era, não reconhecendo mais aquilo que se tornou e fazer tal análise é complicado, dado que a segurança a que nos habituamos é posta em causa assim como o conforto que esse entendimento transmitia. Por vezes a alteração é apenas superficial mas parece-nos profunda, porque a mais pequena faísca é suficiente para perdermos o discernimento e no que toca à parte emotiva ainda mais, o que levanta a dificuldade maior de adaptação a algo que pode ter ainda muito para dar, ao mesmo tempo que é preciso sabedoria para manter, nunca julgando porém, que se manterá para todo o sempre igual.    

4 comentários:

S* disse...

As emoções vão mudando ao longo dos anos... e até dos dias.

A Minha Essência disse...

O importante é sabermos acompanhar as mudanças.

hierra disse...

A questão do afastamento de pessoas e o facto de não podermos voltar a ser amigas de pessoas do passado como antes é que evoluímos em determinado sentido, e por vezes as pessoas ao nosso lado, não acompanham e isso leva a que, até a mais leve divergência se vá adensando e se torne profunda!

GATA disse...

Eu afasto-me por duas razões:

A primeira é se alguém me faz mal - nesse caso, não há volta atrás, é um corte definitivo!

A segunda é se deixo de ter pontos em comum com alguém, porque - e tal como diz a HIERRA - nem todos evoluímos no mesmo sentido.