terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Do início e do fim

Existem coisas que não se sabe como começam da mesma forma que não se sabe quando acabam. Talvez por isso haja dificuldade em compreender certos aspectos da vida, nomeadamente quando durante o percurso paramos por momentos e damos connosco a pensar onde estamos, para onde vamos e como viemos ali parar. Esta tomada de consciência pode ser benéfica, mas acarreta problemas e sacrifícios, mais ainda quando envolve um universo maior do que o nosso, outros elementos em determinados graus, os quais raramente têm sobre o assunto em causa o mesmo entendimento que o nosso, aquele onde se percebe que algo começou ou acabou. 

1 comentário:

A Minha Essência disse...

Cada vez concluo que o melhor é viver sem pensar (muito).