quarta-feira, 12 de março de 2014

Os que não valem nada

Existem sempre aqueles sobre os quais sabemos, por convivência ou pura intuição, que não valem nada. Pessoas que podem até surpreender os ingénuos, podem enganar ao início os mais precavidos, mas que mais ou tarde ou mais cedo sempre se revelam. Depois há quem, ainda assim, prefira fechar os olhos e pensar que as mesmas pessoas estão só num mau momento, que não são assim tão más, preferindo manter os olhos fechados e dar tempo ao tempo. Normalmente quem os topa e disso faz discurso ofende-os porque é a queda do mito, o cair da máscara e claro, esses nunca têm espelhos, muito menos bom senso ou sentido crítico. Olham-se e vêem-se sempre num mundo de fantasia, num local onde eles e só eles têm razão, são os injustiçados e as suas acções justificam sempre os fins. Dir-se-ia igualmente que são de facto problemas clínicos, esquizofrénicos, doentes mentais, mas isso até podia ser uma desculpa plausível se os mesmos aceitassem que nada são e ponto máximo da existência é fazer a vida negra aos outros, seja por inveja, por complexo de inferioridade ou pura estupidez. Perguntando a alguém há sempre que conheça um ou outro caso, mas o mais curioso é que há um local onde se concentra extraordinariamente este número de pessoas, e todos o sabem, embora poucos ou nenhuns tenham coragem de lhes dizer tal na cara, isto porque quem não vale nada gosta sempre de se esconder no local onde mais é mais difícil que os atinjam, ainda que muitos outros apenas rastejem por entre nós no escuro.   

3 comentários:

A Minha Essência disse...

Hoje me dia topo-os longe. Mas, quando foi preciso esse conciso faro, não tive.

S* disse...

O problema é que os que não valem nada acham-se sempre muito valiosos...

GATA disse...

Eu ainda me surpreendo, pela negativa, claro, e por vezes com pessoas próximas... :-(