terça-feira, 13 de maio de 2014

Ai Portugal Portugal...

Há muito que em Portugal se batalha para transformar o país num digno membro dos países do terceiro mundo. É certo que em muitos aspectos nunca deixamos de ser um país do terceiro mundo, mas de alguma forma, o facto de estarmos agarrados por terra à Europa, terá contribuído para estarmos numa espécie de patamar intermédio, pelo menos na aparência. E de facto de aparências percebemos nós, tanto mais que gostamos de dar para fora a imagem de país desenvolvido mas ao mesmo tempo faz-se tudo o oposto do que um país como tal deveria fazer. Senão vejamos: Estamos endividados até aos ossos, qual país terceiro-mundista. Tivemos de pedir ajuda, entre outros, ao FMI, o qual tem sido presença neo-colonial assídua na América latina, países africanos e asiáticos, em muitos deles desde a existência dos mesmos. Depois o governo apela aos jovens para emigrarem e bem sabemos nós que os países terceiros-mundistas são grandes exportadores de gente mais do que outra coisa. O nosso maior “produto” é o turismo, tal qual uma república dominicana, o qual é apresentado como um trunfo. Temos níveis de corrupção altíssimos entre os governantes, mas esse tema é pouco abordado oficialmente, porque, já se sabe, fere muitas susceptibilidades. Com o sistema de vistos dourados atraímos supostos “investidores”, outro nome para quem quer lavar dinheiro ou simplesmente refugiar-se aqui das justiças alheias. O nosso sistema de saúde e de a nossa educação ameaçam ser um privilégio para alguns e um lençol cheio de buracos para os demais. Por fim, a cereja no topo do bolo, temos cada vez mais pobres e menos classe média.
Mas o que se ouve? Aplausos, apenas e só aplausos e diz-se que, agora sim, vamos no bom caminho…

3 comentários:

A Minha Essência disse...

É que te esqueceste de citar que este povo, deste país, tem algo em comum com os peixes; memória. Memória de peixe. Penso que assim explica muita coisa.

Imprópriaparaconsumo disse...

A Minha Essência tem toda a razão, e olha que os peixes têm uma memória que dura 3 segundos...

GATA disse...

Seguindo o comentário de A MINHA ESSÊNCIA: a maioria dos portugueses padece do Síndrome de Dori! :-)