terça-feira, 6 de maio de 2014

Sonhar e viver

Nada é como sonhamos. Mesmo as coisas que atingimos, após termos passado anos a sonhar com as mesmas, acabam por ser uma realidade pálida em relação ao que imaginávamos. Perdemos tempo a sonhar, a deliciar-mo-nos só com isso e isso por si só vale por tudo, mais forte do que a realidade poderá alguma vez ser, mais intenso do que se pode sentir e acreditamos que se tal fosse mais do que um sonho muito maior seria a sensação que se iria ter, sensação essa que seria real, extrema, idílica. Mas no fim tudo não passa disso mesmo, de uma virtualidade que se sente apenas pelo virtual, antecipadamente, porque depois, na realidade tudo ou é o contrário, ou sabe a muito menos do que podíamos supor. Sonhar e viver será por isso uma conjunção difícil de atingir, tanto mais quando se sonha à espera de se viver e quando se vive à espera de um sonho por acontecer. 

2 comentários:

Imprópriaparaconsumo disse...

Há que viver! Independentemente dos sonhos que se tem! :)
As desilusões encontram - se em cada esquina, mas ninguém disse que era fácil :)

GATA disse...

Ainda bem que certas coisas não são como sonhamos... senão eu era amiga do Richard Nixon!!!