terça-feira, 21 de outubro de 2014

...

Provavelmente podemos passar a vida inteira sem sabermos quais são os nossos limites, as nossas capacidades, as nossas maiores virtudes ou os piores defeitos. Isto porque paramos pouco tempo a pensar nisso, porque aquilo que hoje temos como certo amanhã será incerto e, ou, esquecido. Ainda assim vivemos a ponderar o que somos capazes de fazer, tendo como base o que já fizemos e se o conseguimos repetir, igualar e mesmo superar, assim como aquilo que nunca fizemos e se o seríamos capazes de fazer. Essa é apenas uma ideia mais do que uma coisa concreta e certamente tantas vezes matutada por nós próprios, no entanto, tal como em tudo, uma ideia pode parecer não ter substância mas é mais que suficiente para nos alterar, para nos guiar por um determinado caminho, estando presente tanto nas grandes como nas pequenas decisões. No fundo aquilo que somos e o que somos capazes será em boa parte essa ideia e mais do que um acto concreto, será tantas vezes apenas um acto com o qual se ameaça.

2 comentários:

hierra disse...

Acredita que estive mais longe dos meus limites, tenho esticado a corda por força das circunstâncias!!!!

GATA disse...

Para meu mal, estico demasiado os meus limites...