segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Das opções

As opções são múltiplas. As mais comuns são vivermos metade dos nossos sonhos, conseguirmos fazer metade do que aquilo que queríamos, deixar-nos ir na vã esperança de um dia atingir algo; continuar a sonhar com o que foi e podia ter sido, com o que pode ser e não sabemos como atingir, ou então, sonhar com aquilo que é de todo impossível, para que uma fracção do sonho se consiga, no mínimo, materializar aos nossos olhos. No entanto, há muitas mais opções, tantas como a miríade de estrelas no universo, algumas que nunca chegamos sequer a ponderar em toda uma vida, as demasiado impossíveis para se concretizarem e as que podem ser tomadas mas que são agrilhoadas pelo medo ou pelo receio. Mas as que mais doem não são as tomadas, mesmo as erradas, as que mais doem são aquelas que se poderiam ter tomado e nunca o foram.

1 comentário:

GATA disse...

O problema das opções é saber escolher a melhor... Só depois de se escolher se sabe se foi a melhor, ou a pior!