quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Ser mau

Ninguém gosta de mostrar o seu lado mau e muito menos admitir que o tem, isto, claro, fora as situações de pura brincadeira. Quando se fala do lado mau, fala-se desse defeito congénito que nasce connosco, daquilo que sabemos que estamos a fazer de mal e ainda por cima podemos tirar prazer de tal. Obviamente que em muitas situações somos levados a isso, mas em outras tentamos fazer de conta, contrariando-nos, de modo a mostrar o quanto aprazíveis podemos ser, sem o ser verdadeiramente no nosso âmago. Devido a isso exprimimos opiniões, realizamos certos actos, mas só quando alguém escuta ou vê, porque se não for o caso não o fazemos. E tal não nos torna melhores, só nos torna mais aprazíveis aos olhares alheios e temos consciência disso mesmo, porque é um acto calculado. No entanto o facto de sermos maus em certos aspectos, não significa que somos maus de todo, até podemos ser bons, com excepção de certas situações para as quais não temos paciência nem tolerância. Assim trocamos a verdade sobre o que sentimos por uma aparência mais politicamente correcta o que nos torna menos genuínos, mais falsos, mas acima de tudo menos maus, porque para muita gente ser mau é pior que ser verdadeiro.

2 comentários:

hierra disse...

Bem, eu sou realmente má quando me fazem alguma coisa menos boa. eu costumo dizer que quando sou boa sou muito boa, mas quando sou má, sou pior ainda. E tenho outra coisa, não me deixo ficar...logo, eu sou má, assumidamente má, ou tenho um lado mau, como se queira. Mas, para quem for correcto comigo sou uma pessoa razoável, leal com quem me é leal, ajudo os outros sempre que posso, mas pronto, tenho o meu lado lunar...

GATA disse...

Eu tenho que começar a ser má, que com isto de ser porreira não me safo...