quarta-feira, 18 de março de 2015

Desnorte

Ando totalmente à nora, desnorteado, sem norte o que por acaso rima com sorte. Mas se antes também andava da mesma forma, certo é que nem sempre tal me fazia confusão, antes, ignorava, para depois tomar consciência do mesmo, ou sentir tal como um pensamento racional e não como uma sensação que se transporta continuamente. Seria fácil tomar um caminho, um qualquer que fosse, mas para tal é preciso uma decisão, um querer, algo que forçasse a isso mesmo, acima de tudo, uma certeza ou um salpico da mesma. De outra forma aqui fico, a olhar para todos os lados, a ir sem chegar a sítio nenhum, a sonhar sem realizar, a escrever sem sentido nenhum, a ler sem perceber, a seguir rotinas bem definidas mas que me fazem definhar, a viver pensando que vivo sem no entanto sentir estar a viver.

1 comentário:

GATA disse...

"Join the club"... Ultimamente não vivo, sobrevivo, e em piloto automático.