terça-feira, 14 de abril de 2015

Coisas dos tempos

Tenho a impressão que actualmente estar-se bem é outra coisa. Já não é algo que cada um sente no seu interior, mas sim, algo que se transmite para o exterior, pelo que, de outra forma, não seria possível estar-se bem se o mesmo não se puder mostrar a todos quantos o possam ver, ao invés de simplesmente ser uma coisa que se guarde para nós próprios. Talvez daí, a propagação como fogo no mato, das redes sociais e onde antes a angústia residia no facto de se conseguir sentir algo, novas sensações ou simplesmente ter boas emoções, agora parece estancar-se em conseguir ter algo de diferente, de inovador, que cause inveja, clamor, espasmo, para publicar, para divulgar, para dizer que se fez, está-se a fazer ou vai-se fazer, para no fim, como grande apoteose, mostra-lo a todos quanto o possam ver, sendo esta a fórmula para a felicidade. Quanto àquilo que se sente realmente, quanto ao gozar o momento só nosso, que pode acontecer sem nenhuma razão aparente, em nenhum lugar especial ou diferente, isso não tem interesse nenhum.

1 comentário:

GATA disse...

Não se está bem mas vai-se andando...