quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Da sorte

Diz a sabedoria popular que quem tem sorte no jogo não tem sorte no amor e vice-versa. Seguindo a lógica desta mesma frase parece que todos têm, de alguma forma, sorte em algo, o que não me parece que seja verdade. Parece-me mais que ou se tem sorte ou não se tem, seja no que for e pelo contrário, segundo aquilo que posso depreender do que já vi e vivi, temos por vezes pequenas sortes no meio de um grande azar que pode muito bem ser a nossa vida. E com pequenas sortes digo encontrar uns tostões no chão, não perder o autocarro por segundos, ter tomado a decisão certa num momento inesperado, pequenas coisas que caso não tivessem ocorrido apenas nos provocaria alguma frustração momentânea. Difícil mesmo é ter sorte na vida, na vida como um todo, no geral, no sentimento que temos no dia-a-dia, que se espelha na vontade com que nos levantamos da cama, no final, no modo como nos sentimos connosco mesmo, dependendo tal do modo como tudo à nossa volta nos corre. Existem os que estão felizes e se repararmos esses raramente se queixam, antes opinam sobre aquilo que pode estar mal. Os outros pelo contrário queixam-se diariamente, seja da mais ínfima coisa até à maior e de forma ruidosa, para todos ouvirem. Logo, ou se tem sorte ou não se tem e mesmo que pareçam existir pequenas sortes, muito longe estão as mesmas de nos tornarem seres sortudos.

3 comentários:

AC disse...

A sorte também se cria... por nós. Só é coitadinho e azarado quem se vitimiza. A sorte na vida de cada um de nós é o que deixamos que ela ( sorte) ou a falta dela faça connosco. É lutar, esgravatar, dar a volta e sorrir... há sempre um motivo para sorrir, nem que seja o por do sol, um gesto simpático de quem nos abre de uma porta, um olá admirado de quem reparou em nós...

Há a sorte grande e há a sorte do dia a dia. Estar vivo é uma tremenda sorte, ter saúde uma sorte do caraças, ter uma casa outra sorte gigante só para alguns, ter trabalho é uma porra de uma sorte grande, ser amado é uma agulha num palheiro da sorte... e podia continuar.

:)))

Beijo*

hierra disse...

Eu curiosamente dou pela sorte nos maus momentos quando penso que tudo podia ser bem pior e foi uma sorte não ter sido. Não posso dizer que não tenha sorte que já tive alguma mas, uma pessoa quer sempre mais. Digo já que ao jogo então não tenho nenhuma. Se derem prémio a alguém que nunca acerta nada no euromilhões então aí eu ganho ;)

A grila falante disse...

Às vezes a sorte também é uma questão de perspectiva.