quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Ao engano

Ao engano, tantas vezes andamos. Umas vezes sem o saber, mas talvez, em boa parte, com consciência disso mesmo. E ao constatar tal facto suspiramos e pouco fazemos para o alterar. Porquê? Talvez porque não vislumbramos forma de mudar esse paradigma, o qual se torna mais difícil de viver, porque sabemos. Por isso existe quem diga que prefere andar ao engano sem o saber, do que sabe-lo efectivamente. O conhecimento da situação poderia resolver muita coisa, poderia evitar o agravamento do mesmo ou levar à solução e a uma resposta, mas quando não se sabe o que fazer mesmo com o conhecimento efectivo, mantém-se tudo igual, com excepção do peso que se carrega, o qual se torna efectivamente mais pesado, muito mais pesado, porque uma coisa é andarmos ao engano sem o saber, outra é andarmos ao engano sabendo-o.

2 comentários:

hierra disse...

Eu prefiro saber do que andar ao engano. Ainda recentemente tenho nota de ter descoberto que andava ao engano e mais à frente percebi que, eu tinha acordado tarde e que tinha andado ao engano durante muito tempo...eu sabendo, não preferi o engano, prefiro a realidade nua e crua

Psiuuuu!!Sou eu! disse...

Entendo-te perfeitamente....