sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Vencidos

É difícil darmo-nos por vencidos. Recusamo-lo quando tal é evidente. Não aceitamos essa figura de ânimo leve. E porquê? Porque por norma houve uma expectativa, demasiado alta talvez, que nos fez acreditar que poderíamos conseguir, ultrapassar, vencer. Lidar com isso faz parte da vida assim como tantas outras coisas, mas acabamos sempre por perder mais tempo a chorar pelo prato derramado do que em seguir em frente. Isto porque muitas vezes fica-se na dúvida, se realmente perdemos, se realmente há uma hipótese de ainda ganhar, porque quando o objectivo é incerto e nebuloso é difícil seguir em frente, é complicado perceber em que patamar nos encontramos. Assim sendo a dificuldade maior não reside em ganhar ou perder, mas sim, em saber identificar os objectivos a que nos propomos, bem como a forma como lidamos com os mesmos. O problema no entanto, é que nem sempre escolhemos, por vezes acabamos nós por sermos escolhidos e nem sempre por aquilo que compreendemos ou estamos preparados para lidar. Talvez por isso, não seja fácil chegarmos a uma conclusão, como aquela em nos temos de conformar que, simplesmente, perdemos.

3 comentários:

Blackye disse...

Perder também faz parte da vida...

GATA disse...

Tu estás a falar do António Costa?! :-)

L'Enfant Terrible disse...

Gata,
epá, por acaso não, estou a falar do geral!