quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Fases

Existem fases em que podemos tudo. Estamos cheios de nós mesmos, o passado é esquecido e somente o que conta é o futuro, e este é aberto a todas as possibilidades, todas claro positivas e luminosas. Não existem dúvidas, não existem preocupações, há tempo, há vontade, há a ideia de capacidade para isto e aquilo, sendo que a sensação predominante foi apenas de acordar, do despertar para um mundo de opções infinitas, opções que nos fazem sorrir e só o facto de poderem ser exequíveis é mais que suficiente para que nos possamos sentir felizes.

Contudo, tudo isto seria perfeito se fosse duradouro, se a vida fosse sempre idílica, se a força que sentimos quando podemos tudo se mantivesse, estável, resoluta, vigilante e não se perdesse, não se deixasse de sentir, para que com ela pudéssemos ultrapassar todos os obstáculos negativos que sempre aparecem, que entortam o nosso caminho, ofuscam a nossa felicidade, os nossos objectivos mais luminosos e no fim, suporta-se o peso do mundo que não perde tempo a tentar esmagar-nos.
E esperança, essa, acaba por residir naquilo que esperamos que volte, que retorne a nós, a sensação de podermos tudo, se sermos tudo, para que dessa vez possamos aprisiona-la, não a deixar escapar, não a esquecer, mantê-la acesa o máximo de tempo dentro de nós.

2 comentários:

AC disse...

Como eu te entendo. E só isto sem mais palavras porque também me sinto assim... Vai passar, quero acreditar com todas as minhas forças que sim.

Beijo

GATA disse...

Nunca tive essa fase em que estamos cheios de nós mesmos... excepto quando como uma pizza familiar sozinha! É o stress... dá-me para comer como se não houvesse amanhã! Mas claro que há amanhã e, geralmente, é no ginásio!