segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

É fácil dizer segue em frente, vai à luta, sai do canto, abstrai-te do escuro, voa. É fácil falar tanta coisa que supostamente tem como finalidade ajudar, tirar-nos do fundo, elevar-nos, incendiar a nossa alma. Mas se fácil é falar, difícil é concretizar. Podemos dize-lo a nós próprios, podemos ouvir os outros a dize-lo, repetidas vezes até ao limite da exaustão, mas de nada serve, a não ser, aumentar a ansiedade, a tornar tudo mais agudo, urgente, difícil. Porque se a sensação existe, parece evoluir e transformar-se em dor quando soletrada, sussurrada, gritada. E se a tentamos destruir, ultrapassa-la, o som parece criar-lhe massa, fazendo crescer espinhos, fazendo-nos fugir, esconder, para onde não queremos ir, mais fundo, mais baixo, longe de onde se pode apanhar boleia para superar. O silêncio não ajuda, mas do silêncio pode surgir som e por vezes é preferível tentar encontrar luz no escuro do que escurecer tudo e apagar toda a claridade. Por isso antes de se dizer o que quer que seja, é preciso sabe-lo como se vai concretizar a seguir, de outra forma somente se criará ruído, o qual, ao invés de ser uma ajuda, acaba por criar ainda mais dificuldades. 

1 comentário:

GATA disse...

Falar é sempre fácil... Fazer é que é difícil.